Pages

quarta-feira, 30 de abril de 2008

Coisas que não faço

Não assisto a noticiários
Noticiários viraram narração do apocalipse. Tô fora. É filho que mata pai, pai que mata filho, guerra, doença, boçalidade, ignorância. As mesmas notícias de sempre, mudando apenas os nomes dos sujeitos. Chega. Estou muito bem e feliz no meu mundinho cor-de-rosa.

Não acompanho desgraça alheia
Às vezes, no meio de algum evento que gera comoção geral, e que, via de regra, é desgraça, emerge uma faceta do "cerumano" que, francamente, não dá pra tolerar. Pode prestar atenção. Acidente de trânsito. Todo mundo TEM que reduzir pra olhar (pra que, pergunto eu, pra que?). Daí todo mundo diz "ai que horror", ou "coitado" ou coisa que o valha, que é pra mostrar que é bom e simpatiza com o sofrimento alheio. Daí vem um balançar de cabeça (tsc,tsc,tsc) e um comentário clichê tipo "onde este mundo vai parar, não é?" pra mostrar que o cara tem conteúdo. Agora, parar pra ajudar que é bom, nada, né, santa?

Não elimino nada que me dê prazer
Não meiiiismo. Posso até reduzir quantidades em prol de minha saúde. Mas não caio mais nessa conversa mole de que isto ou aquilo faz mal. Meu organismo sabe o que precisa e pronto.

Não acredito no que não me interessa
Só acredito no que me faz bem. Comentários pessimistas, derrotistas, fatalistas são solenemente ignorados.

Não duvido de nada
Sempre acho que tudo (de bom) pode acontecer. Acredito na capacidade criativa do destino. E esta fé nunca me frustrou.

Não julgo
Nunca.

2 comentários:

Bi@ disse...

Bom, eu até assisto noticiários, e não tem como ignorar o que está acontecendo no mundo. Mas concordo com você, a diferença entre as tragédias são os nomes, e também sobre as coisas boas. Só não duvido também nas ruins, é a realidade e tenho que encarar os fatos. Sei que infelizmente tragédias absurdas e desumanas acontecem, e que vão continuar acontecendo (as tragédias não dão sossego!).
Bom, desculpe pelo comentário enooorme.
Beijo

Bi@ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.