Pages

sexta-feira, 28 de março de 2008

A Bússola de Ouro, A Faca Sutil, A Luneta Âmbar

Terminei de ler a trilogia Fronteiras do Universo, do Philip Pullman, aquele da Bússola de Ouro. Excelente. Altamente recomendável a todas as pessoas que gostam de uma boa ficção. No melhor estilo “Senhor dos Anéis” você entra num universo fantástico, com personagens cativantes, complexos, bem construídos. Em A Bússola de Ouro começa a história de Lyra Belacqua, uma garota que vive num mundo que, num primeiro momento, você pensa ser o nosso, num passado recente. Pela descrição de máquinas, do modo de vida, das pessoas, tudo remete a um mundo.... “vintage”, vamos dizer assim.
E esta é descrição de Oxford e uma de suas faculdades, onde Lyra mora. E, de repente, Lyra se vê impelida a iniciar uma jornada para o Pólo Norte para resgatar seu amigo George de um misterioso grupo de raptores de crianças. Através desta jornada, ela conhecerá verdadeiramente seus pais, seu passado e terá um vislumbre de seu futuro.
Pulo para o próximo livro, A Faca Sutil que começa com um menino em um mundo que.... surpresa! é o nosso. Engraçado aqui é constatar que a descrição do mundo de Lyra é tão bem feita, tão bem construída que a descrição do nosso próprio mundo soa estranha, tudo parece duro e sem magia. Na Faca Sutil, Lyra conhece Bill, um garoto que cometeu um crime para proteger a mãe, que busca o pai, desaparecido desde que Bill era um bebê e que conquista uma estranha faca, capaz de abrir brechas entre os mundos. Juntos eles enfrentam espectros e vão procurar o pai de Bill e Lorde Asriel, pai de Lyra, que está preparando uma guerra contra a Autoridade. A Autoridade parece ser Deus, ou um conceito humanizado de Deus. E este é um grande mérito: deixar a imaginação do leitor livre para fazer as associações que quiser, coisa que Philip Pullman parece ser um mestre em fazer.
Em A Luneta Âmbar, vemos Lyra capturada e Bill determinado a reencontrar e libertar a amiga a qualquer custo. Vemos anjos, pequenos espiões guerreiros cavalgando libélulas, uma cientista que terá uma função vital: ser a serpente que tenta Eva. Como assim? Ah, você vai ter que ler.... Esta cientista/serpente sai em busca de sua missão, que ela nem sequer desconfia qual seja. E vai parar em um mundo, um universo paralelo, em que a natureza parece ter privilegiado outras formas, outras funções. Um mundo povoado de seres absurdamente diferentes, semelhantes a animais, porém dotados de consciência, inteligência avançada, delicadeza, sentimentos. Seres que formaram uma sociedade, com base em crenças, tais como a nossa.
A história fecha com a maturidade de Lyra. Ela começa A Bússola De Ouro como uma menina travessa e voluntariosa e termina A Luneta Âmbar como uma jovem moça, que teve que lidar com perdas e decepções e demonstra já uma plena consciência de seu papel no mundo e da conseqüência de seus atos, numa idade em que normalmente se encara os sentimentos como finalidade e justificativa para tudo. Este é um livro que não acaba depois que você lê a última página.

Um comentário:

Vizinho disse...

bom 'preview' do livro ;D

Philip realmente é um bom escritor.
comprei o 1° livro esse mês, 'devorei' em uns 2 dias e to seco pra comprar os outros 2.
uma decepção dessa trilogia foi o filme que lançaram do 1° (que modificou absurdamente o livro, mudando até a sequência de cenas, e cortando o fim). Pena (ou 'ainda bem) que não vão lançar o filme do 2° (pelo menos por enquanto).

mas o livro... 'ótimo'.